ESCOLA NO RS É PIONEIRA AO INSERIR XADREZ NO CURRÍCULO ESCOLAR.

Uma escola municipal da Região Metropolitana de Porto Alegre está se destacando nacionalmente no xadrez.
O projeto iniciou em 2015 quando o professor de matemática, Bruno Rogério Régio, percebeu que havia muitos tabuleiros inativos na escola e levou para a sala de aula a fim de treinar o raciocínio dos alunos para a sua disciplina. Os estudantes se interessaram tanto, que Bruno teve que estudar para correr à frente deles. Bruno foi o precursor do xadrez na escola.

Em 2016, com a chegada de Márcia Roldão na direção, Bruno ganhou uma aliada e os estudantes começaram a participar de campeonatos para conhecer estratégias e ganhar experiência. na aula de matemática, com 30 alunos. De lá para cá, o xadrez ganhou proporção e, hoje, está inserido no currículo escolar, abrangendo todos os 650 estudantes, desde a educação infantil.

O que isso mudou? De acordo com a diretora da EMEF Dom Diogo de Souza, Márcia Roldão, tudo. “A comunidade está integrada na escola, as crianças acreditam nos seus potenciais e têm perspectiva de buscar uma realidade melhor para si e sua família. O Ideb da escola cresceu. Passou de 3,8 em 2016, para 5,0 em 2017.
O xadrez está combatendo a evasão escolar, que até 2015 era de cerca de 50%. Hoje, não passa de 5%. “Oferecemos oficinas de xadrez no turno inverso ao escolar para dar uma ocupação e trazer o estudante para dentro da escola, evitando que ele fique ocioso e vulnerável pelas ruas. Até mesmo os ex-alunos têm espaço para trocar conhecimentos com os colegas. São 50 estudantes que participam ativamente de competições”, explica Márcia.

Em 2017 o xadrez foi inserido desde a educação infantil e foi fundado o Dom Diogo Xadrez Clube (DDXC).  O clube de xadrez da escola já ganhou muitos prêmios e foi destaque entre as competições regionais, garantindo a invencibilidade entre os municípios vizinhos. Para este ano, os pequenos viamonenses se preparam para uma competição diferente. Lá em Brasília, será necessário mais raciocínio lógico e concentração para as jogadas do xadrez.  Serão 19 alunos que estarão representando o município, com idades entre 9 e 15 anos. Destes, oito foram campeões na edição de 2017, em Petrolina (PE).  A passagem área e a estadia estão sendo custeadas pela Secretaria Municipal de Educação. A alimentação e o deslocamento estão sendo garantidos através de rifas e de empresas apoiadoras.
O estudante do 9º ano, Mateus Martins, está com muita expectativa para o campeonato nacional. -“Agora estou bem mais preparado do que no ano passado.”
A aluna do 7º ano, Gabriela dos Santos, está muito ansiosa com a viagem a Brasília. -“Fico pensando como são as jogadas deles… No ano passado estava muito nervosa, mas neste ano estou bem melhor preparada e tenho trabalhado o meu nervosismo.”

Já, Gislaine Zancanaro (4º ano) estará participando pela primeira vez do campeonato nacional. Também será a primeira vez que ela viajará de avião.- “Estou me preparando e com muita expectativa para garantir uma boa classificação para Viamão.”
Até dia 7 de dezembro, quando os estudantes irão embarcar para Brasília, os treinos são diários. A preparação também inclui assistir a partidas em vídeos e jogos on line.

Professor Bruno Rogério Regio numa competição.

Professor de Matemática Bruno Rogério Regio escreveu Carta Aberta aos seus alunos: – “Ser professor é conviver com o sucesso e principalmente com o fracasso, paro para pensar como melhorar a didática com os alunos e o relacionamento, mas é na prática que tudo acontece, é na prática que conhecemos o perfil de cada um dos alunos podendo saber mais sobre suas vidas, de entender sua realidade, de muitas vezes voltar triste para casa indignado com alguma situação que não consigo resolver, de compartilhar com a esposa e familiares sobre as situações dos alunos para tentar amenizar um pouco o sofrimento de nem sempre resolver todos os problemas da melhor forma possível.  Só tenho a agradecer por todo o empenho que vocês tem demonstrado, por toda a luta e por acreditarem junto comigo que é possível mudar uma perspectiva de vida, de transformar uma realidade dura em desafios a serem alcançados com muito esforço. Que é possível ser de uma escola pública e poder viajar e ganhar muitos títulos por todo Rio Grande do Sul e Brasil afora. Quero que saibam que podem contar comigo para o que der e vier e que eu vibro com cada pequena felicidade que vivemos juntos!”
São professores e equipe diretiva como estas  que nos fazem acreditar e ter esperança no futuro das crianças.