Dieta HCG: saiba o que é, como funciona e contraindicações

Essa dieta só é segura e eficiente quando feita com acompanhamento médico, pois envolve o uso de hormônio

Conforme explica o Dr. Renan Botelho, especialista em nutrologia e medicina integrativa, a dieta HCG não é uma novidade. Ela começou a ser estudada há cerca de 60 anos para tratamento de homens que tinham um problema chamado criptorquidia, que é quando os testículos não descem e, por isso, o menino não desenvolve as características sexuais masculinas como deveria.

Ao dar início a cada tratamento, o médico responsável percebia que ocorria paralelamente o emagrecimento e uma melhor distribuição de gordura corporal nos homens tratados, então começaram as pesquisas para que essa técnica de tratamento hormonal se tornasse uma dieta mais abrangente.

HCG é a sigla do hormônio Gonadotrofina Coriônica Humana. O que se descobriu ao estudar esse tratamento hormonal foi que, ao associar o uso desse hormônio com uma dieta de baixas calorias e carboidratos, e com mais proteínas, o corpo acaba passando por um emagrecimento anabólico. Ou seja, ocorre a perda de gordura corporal, mas sem perder a massa muscular, que é basicamente o que todo mundo deseja.

Como fazer a dieta HCG de forma segura

Em teoria, essa dieta parece simples. Mas, não é bem assim, pois envolve a suplementação de hormônio HCG, ou seja, não pode ser feita sem acompanhamento médico.

Portanto, como qualquer outra dieta, para que seja eficaz, é necessário que você se consulte com um profissional qualificado antes de tudo. O ideal é que procure por um médico nutrólogo e um nutricionista que seja especializado nesse dieta para que possa adequá-la perfeitamente às necessidades do seu corpo e do seu estilo de vida. Tenha em mente que dieta é um procedimento individual: cada pessoa faz a sua.

Então, depois de consultar o seu médico você vai descobrir que a dieta HCG possui, atualmente, vários tipos de protocolos, justamente para se adaptar a cada pessoa. Tem dieta para fazer durante 20 dias, 27, 40 e até 60 dias.

Não quer dizer que depois desse tempo você vai voltar a uma rotina desregrada, mas sim que nesse tempo você vai fazer uso do hormônio HCG e seguir uma determinada rotina alimentar, de acordo com a quantidade de peso a ser eliminado. Passado o prazo, o profissional vai orientar a uma alimentação saudável e adequada que você consiga manter por toda a vida.

Etapas da dieta HCG e alimentos permitidos

De modo geral, a dieta HCG é composta pela utilização do hormônio HCG e de um plano alimentar com cerca de 500 calorias por dia. Também podem ser necessários remédios fitoterápicos para equilibrar as necessidades de cada organismo. Então, o que vai conter nessa dieta, vai depender das necessidades e do estilo de vida de cada pessoa, e também de cada fase do tratamento.

Fase 1 – Início e preparação do corpo

Nessa fase, que dura 48 horas, a pessoa irá tomar a injeção de hormônio HCG 1 vez por dia e seguir uma alimentação bem rica e com muitas calorias e gorduras, como:

  • Abacate;
  • Azeite;
  • Carnes vermelhas;
  • Peixes;
  • Castanhas e todas as oleaginosas;
  • Pizzas e outras massas;
  • Queijos amarelos;
  • Frituras.

A ideia é que o corpo perceba que já está com bastante gordura armazenada, então já pode iniciar o processo de emagrecimento.

Fase 2 –  O emagrecimento

Essa é a fase em que a dieta fica mais restritiva, com apenas 500 calorias ao dia, pois é o ponto em que o corpo vai eliminar os quilos extras, conforme recomendado pelo médico. O uso de hormônio se mantém, e essa fase pode durar até 40 dias, dependendo da necessidade. A alimentação vai eliminar ao máximo os carboidratos e focar em fibras, proteínas e gorduras de boa qualidade. Essa fase inclui:

  • Água: beber pelo menos 2 litros de água ao longo do dia;
  • Legumes com baixo teor de amido: todos os vegetais verdes;
  • Proteínas: carnes magras, ovos, frutos do mar;
  • Frutas de baixo índice glicêmico: frutos vermelhos, maçã, frutas cítricas;
  • Carboidratos: apenas uma quantidade equivalente a 2 torradas;
  • Líquidos: além da água, beber água com limão, chá ou café sem açúcar;
  • Gorduras boas: só a dos alimentos listados, sem usar óleo para o cozimento.

Fase 3 – A estabilização do peso

Ao chegar nos 40 dias de dieta, vai ser necessário parar o uso do hormônio e continuar a mesma dieta de 500 calorias por mais 2 dias. É o momento em que o corpo vai eliminar o hormônio em quantidade extra do organismo, estabilizando o peso e estimulando à volta do metabolismo normal com esse tipo de alimentação.

Fase 4 – A manutenção do peso

Depois da dieta restritiva, a pessoa precisará de ainda mais apoio médico para conseguir voltar a comer mais calorias, só que forma bastante saudável para manter o peso que conquistou. Essa é a fase talvez mais difícil, de reeducação alimentar, mas que muitas pessoas passam com tranquilidade depois de ficarem ate 40 dias comendo menos e com mais qualidade.

O médico irá prescrever um novo cardápio, com mais calorias, mas rico em alimentos que vão beneficiar o organismo e ajudar a saciar a fome com menos.

Por exemplo:

  • Alimentos integrais;
  • Gorduras saudáveis;
  • Proteínas na dose adequada para cada pessoa;
  • Muitas frutas, legumes e verduras;
  • Introdução gradual de alimentos com mais carboidratos.

Continuar evitando:

  • Massas com farinha branca;
  • Arroz branco;
  • Frituras;
  • Doces industrializados;
  • Açúcar branco;
  • Refrigerantes e bebidas doces industrializadas;
  • Chocolates brancos e ao leite.

Contraindicações da dieta HCG

Existem contraindicações dessa dieta, pois não são todas as pessoas que podem fazer uso de HCG. Essas pessoas são:

  • Gestantes;
  • Mulher com endometriose ativa;
  • Paciente com câncer ativo;
  • Homem com prostatite ou câncer de próstata;
  • Pacientes que já tiveram trombose;
  • Pessoas com níveis exacerbados de cortisol no sangue, precisam primeiro tratar esse problema para depois pensarem em fazer a dieta HCG.

De modo geral, somente o médico vai saber dizer se essa dieta é recomendada para o seu caso, ou se é necessário antes tratar algum problema de saúde, seja físico ou emocional. Ou então, se é melhor fazer outro tipo de dieta. Por isso que os alimentos aqui mostrados são apenas para que você tenha ideia de como pode ser essa dieta, mas é junto com o seu médico que o seu cardápio será montado e adaptado.

Seja o primeiro a comentar

Deixar uma resposta